NFCe: o que é e quais as vantagens? - Digi Office

NFCe. Caso você trabalhe no varejo, já deve ter ouvido este termo.

A Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica (NFCe) substitui a nota fiscal de venda ao consumidor e o cupom fiscal emitido por Emissor de Cupom Fiscal (ECF).

 

NFC-e

O que é a NFCe?

 

O projeto busca trazer uma alternativa totalmente eletrônica para os atuais documentos fiscais utilizados no varejo, geralmente em papel. Assim, reduz-se o custo das obrigações que atingem os contribuintes.

 

A NFCe é emitida pelo empreendedor, utilizando um software emissor de sua preferência, lembrando que, a Secretaria da Fazenda não possui programas próprios, e o software escolhido deve ser instalado nos computadores da empresa. Após ser preenchida e assinada eletronicamente, é transmitida pela internet para a Secretaria da Fazenda (SEFAZ).

 

O que muda no ponto de venda?

 

O DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica), a versão em papel resumida da nota, agora vai junto às mercadorias vendidas ou serviços prestados, como um resumo de suas informações.

 

Uma diferença fundamental da nova NFCe, é que ela dispensa o Equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF), podendo ser impressa em uma impressora comum.

 

Após a dispensa do ECF e da digitalização dos processos, o uso de papel é reduzido, pois o DANFE mostra apenas informações resumidas sobre a compra. O DANFE apresenta também o CPF de quem comprou e QR code que permite consulta à NFCe através de dispositivos conectados à internet.

 

NFCe e QR code em Minas Gerais

 

Quando será implantada em MG?

 

Apesar de alguns estados já terem adotado a novidade anteriormente, desde 2017, em diversos estados brasileiros e no Distrito Federal, entrou em vigor a lei da obrigatoriedade da emissão da NFCe (Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica).

 

Em Minas Gerais ainda não temos uma data prevista para entrada da NFCe, representantes da SEF/MG informaram em junho de 2018 que entrará em vigor no 1o semestre de 2019.  O motivo apresentado é a contratação necessária para adequação da área de Tecnologia da Informação (TI).

 

Abaixo texto na íntegra desta decisão.

 

SEF/MG prevê implantação da NFC-e para o início de 2019
A Secretaria de Estado de Fazenda está finalizando a contratação necessária para adequação da área de Tecnologia da Informação (TI) a fim de viabilizar a emissão de Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) em Minas Gerais.
A estimativa da SEF/MG é que no segundo semestre de 2018 seja possível dar início à homologação da funcionalidade e, na sequência, colocar em prática um piloto com algumas empresas. Concluído o piloto, será possível agregar, gradativamente, contribuintes voluntários.
A legislação com o cronograma de obrigatoriedade será publicada também no próximo semestre, com previsão de início em 2019.

 

Leia o texto original publicado no site da SEF/MG aqui.

 

Uma vez implementada, a alternativa permite maior abertura para evolução tecnológica do Ponto de Venda, tornando viável situações como:

Atualização em 28/12/2018:

A partir de 18 de dezembro de 2018 o ambiente de produção da NFC-e será disponibilizado, inicialmente apenas para os estabelecimentos que participaram do projeto piloto no ambiente de homologação.

A partir de 02 de janeiro de 2019, os novos estabelecimentos inscritos junto ao cadastro de contribuinte de MG poderão se credenciar voluntariamente como emissores de NFC-e, modelo 65.

Leia o texto na íntegra aqui.

Veja alguns exemplos de onde implementar:

– Loja sem caixa, assim como a loja de conveniência da Amazon, a Amazon Go em Seattle;

Self Checkout, o caixa sem operador onde o próprio cliente passa os produtos e paga sozinho;

– Garçom que fecha a conta e recebe do cliente na hora.

 

 

Enquanto a obrigatoriedade não chega, leia também:

 

Impressora Fiscal: tire aqui suas dúvidas!

 

 

Fale conosco